Redes Sociais: pesquisa associa mídia social com depressão e ansiedade

Atualizado: 19 de Set de 2019


O fato - Um estudo publicado na revista JAMA Psychiatry sugere que os adolescentes que passam mais de três horas por dia nas mídias sociais têm maior probabilidade de desenvolver problemas de saúde mental, incluindo depressão, ansiedade, agressão e comportamento anti-social.

A Notícia - Foram entrevistados quase 6.600 americanos de 12 a 15 anos que relataram quanto tempo gastaram por dia nas mídias sociais, bem como se tiveram algum problema de saúde mental. Os pesquisadores descobriram que três horas de uso de mídia social se correlacionavam com maiores taxas de problemas de saúde mental.

Porque isso importa - Os efeitos do consumo de mídia social nos adolescentes se manifestam de duas maneiras: internamente (depressão e ansiedade, por exemplo) e externamente (comportamento agressivo ou comportamento anti-social). Estes últimos eram essencialmente inexistentes entre os adolescentes que relataram não usar as mídias sociais.

Não Conclusivo - Segundo pesquisadores que se debruçam sobre o tema, o resultado não chega a ser uma novidade. Mas uma pesquisa definitiva é sempre atropelada pela mudança repentina da forma de consumo por causa da chegada de novas plataformas. Hoje, por exemplo, os adolescentes usam menos o Facebook e mais propensos a ficar no TikTok ou Snapchat. De todo modo, os cientistas concordam que horas de redes sociais não ajudam na saúde mental.



5 visualizações